Racing for Dummies – Como Funciona o Qualifying da F1

Preliminarmente, o que é Qualifying (Qualy)?

Qualifying é, simplesmente, o treino classificatório do automobilismo. É neste treino que serão definidas as posições de largada da corrida, no caso analisado, da F1. Há, em outras categorias, como na GP2, a definição do grid da segunda prova do fim de semana (há mais de uma prova) pelas posições de chegada da primeira corrida e mais uns detalhes que poderemos ver em outro post.Desde 2010 a F1 conta com 12 equipes com dois carros cada, totalizando 24 carros.Tratando, portanto, de F1; Como funciona?

O treino classificatório é dividido em três partes. São elas Q1, Q2 e Q3.

Durante a primeira parte do treino, o Q1, todos os 24 pilotos têm vinte minutos para dar quantas voltas desejarem. Os dezessete melhores colocados (tempos mais baixos, ou seja, os mais rápidos) avançam para a próxima fase, o Q2. Os que restaram têm sua posição de largada definida com ordem nos tempos que fizeram (menor tempo dentre eles fica com o 18º lugar, o pior fica com o 24º lugar).

Já na segunda parte do treino, os 17 pilotos que restaram têm quinze minutos para dar suas voltas e marcar os tempos. Apenas dez pilotos avançam para o Q3. Os demais têm sua posição já definida para a corrida, seguindo o mesmo critério utilizado no Q1.

Durante o Q3, como vocês podem imaginar, o tempo é, novamente, reduzido. Os pilotos têm apenas dez minutos para tentar marcar os melhores tempos. Quem fizer o melhor tempo fica com a Pole Position, ou seja, largará em primeiro lugar na corrida.

Há alguns detalhes que julgo serem interessantes. É possível que alguém faça um tempo pior no Q3 do que ele mesmo fez no Q2, mas isso não o coloca de volta nas posições já definidas no Q2.

Assim como é possível – e comum – que no Q1 determinado piloto fique com a décima segunda posição, por exemplo, mas nos outros Qs consiga ir tão bem que consegue a Pole Position.

Importante dizer que o Qualy é feito com a menor quantidade possível de combustível para que o carro pese menos, tendo melhor desempenho. Como já foi citado aqui, os pneus têm rendimentos diferentes e são disponibilizados dois tipos para pista seca por corrida (2 tipos, mas vários jogos de pneus); Há um número pré-determinado de pneus macios e pneus duros para as equipes. Em geral, há mais pneus duros para o fim de semana se comparados aos macios.

Tal disparidade gera inúmeras variáveis de estratégia como, por exemplo, utilizar pneu duro no Q1, para ter pneu macio novo no Q2, ou até mesmo na corrida.

A F1 não é tão simples quanto parece. É mágica e cheia de variáveis. Deixe-se encantar por ela!

Espero que vocês tenham entendido tudo. Em caso de dúvidas não hesitem em perguntar!

André Ribeiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s